Selênio e ômega-3 em excesso fazem mal a saúde

Descubra o porque Selênio e Ômega-3 em excesso fazem mal á saúde. E saiba quais são todos os cuidados que você tem que ter ao ingerir esses nutrientes.

Dificilmente a ingestão de nutrientes proveniente de alimentos pode ter efeitos indesejáveis, pois para atingir um valor considerado tóxico, seria necessária a ingestão de uma quantidade absurdamente elevada de alimentos. No entanto, quando o nutriente vem por meio de suplementação inadequada (níveis elevados por período de tempo prolongado), os efeitos nocivos podem ser vistos no organismo.

Um dos únicos nutrientes capazes de causar intoxicação quando ingerido em excesso, por meio dos alimentos, é o selênio. No caso do ômega-3, também há alguns cuidados a serem tomados. Por isso, vale a pena tomar algumas precauções.

Selênio

Necessidade diária

A quantidade de selênio preconizada para um adulto ingerir diariamente é 55mcg.)

A função do selênio

Uma das principais funções do selênio é na proteção contra os famosos radicais livres, componentes que quando em excesso podem danificar os nossos tecidos corporais. Ele tem o que chamamos de atividade antioxidante.

O selênio atua como uma peça fundamental para o funcionamento de um composto (enzima glutationa peroxidase) que nos protege dos radicais livres. As funções de diversas células de defesa são influenciadas pelos seus níveis sanguíneos. Na formação do hormônio da tireoide, o selênio apresenta uma atuação importante.

Fontes de selênio

A castanha-do-pará é riquíssima em selênio. Algumas tabelas trazem o valor de 55mcg de selênio por castanha-do-pará.

Efeitos tóxicos

De forma geral, os efeitos tóxicos são encontrados quando o consumo de selênio excede 850mcg por dia. Esse valor pode ser atingido ao ingerir diariamente dez castanhas-do-pará. Quando há toxicidade, os principais sinais e sintomas são: hálito com odor de alho, cansaço, dores e fraqueza muscular, irritação, unhas e cabelos frágeis e com queda acentuada. Alterações no sistema gastrointestinal e sistema nervoso também podem ocorrer.

Portanto, a recomendação prática é: não consuma mais do que dez castanhas-do-pará por dia.

Ômega-3

Efeitos para a saúde

Diversos efeitos benéficos têm sido atribuídos ao consumo de ômega-3, como a redução dos níveis sanguíneos de triglicérides e inflamações no organismo, redução do risco de trombose, maior proteção contra doenças cardiovasculares, além da melhora de alguns casos de depressão, melhora da função imunológica e do controle glicêmico dentre outras funções.

As melhores fontes de ômega-3

Dos alimentos vegetais, a linhaça é a fonte mais rica de todas. Para se ter uma ideia, em 100mL do óleo de linhaça há 53,3g de ômega-3

As necessidades diárias

é preconizado o consumo diário de 3,2g por dia de ômega-3 e 2,2g para mulheres. Uma colher de chá de óleo de linhaça apresenta 2,7g de ômega-3. Já uma colher de sopa de semente de linhaça, cerca de 2g de ômega-3.

O excesso

Os maiores inconvenientes ao ingerir ômega-3 em excesso são:

1- alteração da coagulação do sangue tornando o organismo mais propenso a sangramentos excessivos. Isso pode ser bastante indesejado quando há necessidade de fazer procedimentos dentários ou cirurgias;

2- aumentar os níveis do “colesterol ruim”. Apesar de ocorrer redução de triglicérides com o seu uso, há estudos que apontam o aumento do LDL, o “colesterol ruim” quando utilizado em doses mais elevadas;

3- necessitar de mais vitaminas com papel antioxidante, como as vitaminas C e E.

De forma prática

Utilize sempre o óleo de linhaça na dose de uma colher de sobremesa por dia ou duas de sopa da semente de linhaça (não precisa ser triturada, apesar de a trituração no momento do seu consumo ser mais indicada).

Evite ingerir mais do que três colheres de chá de óleo de linhaça (8,1g de ômega-3) ou 4 colheres de sopa de semente de linhaça (8g de ômega-3) diariamente, salvo sob supervisão médica.

Esse trecho foi retirado da Revista dos Vegetarianos, seção E agora, Doutor, edição 31

Deixe uma resposta